Quinoflox®









Quinoflox®



Ciprofloxacino



Uso adulto





Formas farmacêuticas e apresentações - Comprimidos revestidos de 250
mg: Caixa com 6, 10 e 14 comprimidos revestidos. Comprimidos revestidos de 500
m: Caixa com 6, 10 e 14 comprimidos revestidos. Solução injetável 1%: Caixa
com 5 ampolas de 10 ml. 



Composição - Comprimido revestido: Cada comprimido revestido 250 mg
contém: Ciprofloxacino (na forma de cloridrato) 250 mg. Excipientes: Estearato
de magnésio, silicato de magnésio, dióxido de titânio, amido glicolato de
sódio, celulose microcristalina, dióxido de silício coloidal, hipromelose,
macrogol. Cada comprimido revestido 500 mg contém: Ciprofloxacino (na forma de
cloridrato) 500 mg. Excipientes: Estearato de magnésio, silicato de magnésio,
dióxido de titânio, corante amarelo FD & C, celulose microcristalina, dióxido
de silício coloidal, amido glicolato de sódio, hipromelose, macrogol. Solução
injetável 1: Cada ampola de 10 ml contém: Ciprofloxacino (na forma de lactato)
100 mg. Veículos: Ácido clorídrico e água para injeção.



Indicações - O ciprofloxacino é apropriado para o tratamento das
infecções causadas por agentes patogênicos sensíveis ao fármaco: Infecções das
vias aéreas, otorrinolaringológicas, maxilofaciais, das vias urinárias e
renais, do trato gastrointestinal (incluindo febre tifoide), das vias
biliares, dos tecidos moles e feridas infectadas, ósseas e articulares,
ginecológicas e obstétricas, septicemia, meninges (meningite), peritonite,
infecções ou risco iminente de infecção (profilaxia) em doentes com
imunossupressão.



Contraindicações - Em casos de hipersensibilidade aos componentes da
fórmula ou aos derivados quinolônicos. QUINOFLOX® não deve ser prescrito para
crianças, adolescentes, mulheres grávidas ou em fase de amamentação.



Precauções e advertências - Gerais: Em pacientes epilépticos ou que
anteriormente tenham apresentado distúrbios do sistema nervoso central (SNC),
QUINOFLOX® deve ser administrado somente quando os benefícios do tratamento
forem superiores aos possíveis riscos, já que tais pacientes podem vir a
sofrer eventuais efeitos colaterais sobre o SNC. A aplicação endovenosa deverá
ser administrada por infusão lenta em um período de 60 minutos,
preferencialmente. Gravidez: O ciprofloxacino só deverá ser usado durante a
gravidez se os benefícios justificarem o potencial risco para o feto.
Lactação: O ciprofloxacino é excretado no leite materno. Pediatria: A
segurança e a eficácia do uso de ciprofloxacino em adolescentes menores de 18
anos e crianças ainda não foram estabelecidas. Geriatria (idosos): De acordo
com os estudos realizados, não existem problemas específicos referentes ao uso
de ciprofloxacino em idosos.



Interações medicamentosas - A administração concomitante de QUINOFLOX®
Oral e ferro, sucralfato, antiácidos ou medicamentos altamente tamponados
(como, por exemplo, antirretrovirais), que contêm magnésio, alumínio ou
cálcio, reduz a absorção do ciprofloxacino. Consequentemente, QUINOFLOX® deve
ser administrado de 1 a 2 horas antes ou, pelo menos, 4 horas depois dessas
medicações. A administração concomitante de ciprofloxacino e teofilina pode
produzir aumento indesejável das concentrações séricas de teofilina. A
combinação de doses muito altas de quinolonas (inibidores da DNA-girase) e
certos anti-inflamatórios não esteroides (mas, não o ácido acetilsalícilico)
podem provocar convulsões. A administração simultânea de ciprofloxacino e
ciclosporina levou ao aumento transitório da creatinina sérica. O uso
concomitante de ciprofloxacino e varfarina pode intensificar a ação da
varfarina. Em casos individuais, a administração concomitante de
ciprofloxacino e glibenclamida pode intensificar a ação da glibenclamida
(hipoglicemia). A probenecida interfere na secreção renal do ciprofloxacino. A
administração concomitante de probenecida e QUINOFLOX® pode aumentar a
concentração do ciprofloxacino sérico. A metoclopramida acelera a absorção do
ciprofloxacino.



Reações adversas - Efeitos sobre o trato gastrointestinal: Náusea,
diarreia, vômito, dispepsia, dor abdominal, flatulência e anorexia. Na
eventualidade de diarreia grave e persistente durante ou após o tratamento,
deve-se consultar um médico, já que este sintoma pode ocultar doença
intestinal grave (colite pseudomembranosa) que exige tratamento imediato.
Efeitos sobre o sistema nervoso: Tontura, cefaleia, cansaço, agitação e
tremor. Muito raramente insônia, paralgesia periférica, sudorese,
desequilíbrio, convulsões, aumento da pressão intracraniana, ansiedade,
pesadelos, confusão mental, depressões e alucinações. Reações de
hipersensibilidade: Reações dermatológicas, como: erupções cutâneas, prurido,
febre medicamentosa. insuficiência hepática com risco de vida. Reações
anafiláticas/anafilactoides (exemplo, edema facial, vascular e laríngeo);
dispneia progressiva, chegando ao estado de choque (com risco de vida), em
alguns casos, após a primeira administração. Efeitos sobre o sistema
cardiovascular: Taquicardia. A administração de QUINOFLOX® de forma repetida
ou em longo prazo pode causar superinfecção com bactérias resistentes ou com
fungos semelhantes às leveduras.



Posologia - As seguintes doses são recomendadas: Via oral: Infecções do
trato respiratório (leve, moderada, severa): 500 mg de 12 em 12 h, de 7 a 14
dias. Infecções do trato urinário: Leve a moderada: 250 mg a 500 mg de 12 em
12 h, de 7 a 14 dias. Cistite em mulheres antes da menopausa: 250 mg em dose
única por 3 dias. Complicada: 500 mg de 12 em 12 h, de 7 a 14 dias. Gonorreia:
Extragenital: 250 mg em dose única. Complicada: 250 mg dose única. Diarreia:
500 mg de 12 em 12 h, de 5 a 7 dias. Outras infecções: 2 x 500 mg de 12 h em
12 h, de 7 a 14 dias. Infecções renais (não complicadas): 250 mg em dose
única. Intra-abdominal (complicada): 500 mg de 12 em 12 h, de 7 a 14 dias. Via
EV: Infecções do trato respiratório (leve, moderada, severa): 400 mg em dose
única diária. Infecções do trato urinário: Leve a moderada: 200 mg em dose
única diária. Complicada: 400 mg em dose única diária. Diarreia: 400 mg em
dose única diária. Outras infecções: 400 mg em dose única diária. Infecções
renais (não complicadas): 1.200 mg em dose única diária. Intra-abdominal
(complicada): 400 mg em dose única diária. Reavaliar a posologia em caso de
função renal alterada.



Superdosagem - Sintomas: Em casos de superdose oral aguda foi
registrada ocorrência de toxicidade renal reversível. Tratamento: Além das
medidas habituais de emergência, recomenda-se monitorizar a função renal e
administrar antiácidos contendo magnésio ou cálcio, para reduzir a absorção de
ciprofloxacino. Apenas uma pequena quantidade de ciprofloxacino (< 10%) é
eliminada após a hemodiálise ou diálise peritoneal.



Venda Sob Prescrição Médica.



Registro no M.S. 1.3489. 0009.



BIOLAB SANUS Farmacêutica Ltda.